Paz e Amor!

Paz e Amor!
O Inverno Chegou!!

quarta-feira, agosto 18

DOENÇA DE PARKINSON



A Doença de Parkinson foi descrita pela primeira vez por James Parkinson em 1817 que nasceu em Londres em 11 de abril de 1755. Antes de ser médico,James Parkinson era um humanista,dotado de grande espírito crítico e sentido de observação da natureza. Não é sem motivo que foi ele o fundador da Sociedade de Geologia de Londres.Em 1817, aos 62 anos de idade, publicou o ensaio (Essay on Shaking Palsy) que descreveu de maneira bastante precisa e quase irretocável a doença que hoje leva o seu nome. Foram descritos os casos de seis pacientes, todos do sexo masculino, com idades entre 50 e 72 anos. Somente um desses pacientes não foi examinado pelo próprio James Parkinson, sendo observado à distância.

Mas foi somente por volta de 1875 que o brilhante neurologista francês Jean Martin Charcot (considerado o “pai da neurologia”) sugeriu o nome de “doença de Parkinson”, reconhecendo o mérito daquele que tão bem havia descrito a doença. Charcot também contribui de maneira memorável para melhor definição e conhecimento da doença.James Parkinson faleceu em 21 de dezembro de 1824, aos 69 anos de idade. Deixou o seu exemplo de homem dotado de conhecimento enciclopédico mas nem por isso distante dos pacientes ou de seu povo.


A OMS-Organização Mundial da Saúde estima que, em 2040, serão cerca 8 milhões de pessoas afetadas pela doença em todo mundo. No Brasil, as projeções do Ministério da Saúde indicam 200 mil pacientes com Parkison.Segundo uma pesquisa realizada por especialistas da Universidade de Harvard nos Estados Unidos, os homens que praticaram exercícios físicos intensos, de forma regular, na juventude, têm menos changes de sofrer da doença de Parkinson, quando comparados com os que não os praticaram.

Caracteriza-se pela associação de quatro distúrbios motores:

- lentidão de movimentos

- rigidez corporal

- instabilidade de postura

- e tremor, sobretudo em repouso. 

No início da doença não se manifesta nenhum comprometimento de ordem intelectual mas sabe-se que ela progride lentamente e na sua fase mais avançada este comprometimento poderá manifestar-se.Os sintomas da doença não são iguais em todos os pacientes.O tremor é o sinal mais frequente e o que mais chama atenção do doente e dos familiares. Como o Mal de Parkinson é uma doença que começa geralmente em um lado do corpo e só depois passa para o outro, é comum familiares e amigos notarem que a pessoa balança só um dos braços e deixa o outro imóvel durante a caminhada ou mesmo na corrida.

Cita-se que num grupo de cem mil pessoas apenas +/- 190 manifestem a doença e que isto ocorre na faixa de idade entre 55 a 65 anos de idade,podendo ocorrer em pessoas mais jovens,o que é muito raro.

Na Doença de Parkinson, há perda dos neurônios que produzem o neurotransmissor dopamina na substância negra – estrutura do cérebro que participa do controle e da coordenação dos movimentos, assim como da manutenção do tônus muscular e da postura. Os sintomas somente aparecem quando cerca de 80% destes neurônios já morreram. 

Atualmente, há quatro hipóteses principais para a causa do Mal de Parkinson:

Ação de toxinas ambientais, substâncias que podem destruir neurônios da substância negra;

Acúmulo de radicais livres produzidos normalmente durante a metabolização da dopamina, mas que em grande quantidade são nocivos aos neurônios;

Anormalidades nas mitocôndrias, estruturas celulares que fornecem energia e produzem normalmente pequenas quantidades de radicais livres;

Predisposição genética, que pode aumentar o risco de perda de neurônios, por exemplo devido a uma maior sensibilidade a toxinas ambientais. 

Os primeiros sintomas são:

- rigidez muscular

- tremor em repouso, relativamente amplo e lento, principalmente nos dedos, que diminui ou desaparece quando se inicia o movimento. 

- os movimentos involuntários tornam-se prejudicados, ficando mais lentos e pobres. 

- face inexpressiva

- fala monótona e cansada. 

- a escrita tende a se tornar minúscula. 

A rigidez muscular associa-se  à instabilidade postural, levando o doente a adotar uma postura curvada, como um esquiador e a sua marcha passa a se apresentar com passos rápidos e arrastados.

Algumas outras causas patológicas podem confundir-se com a Doença de Parkinson:

- acidentes vasculares cerebrais (AVC)

- envenenamento por metais

- asfixia por monóxido de carbono

-  doenças degenerativas que causem distúrbios dos movimentos e deficit intelectual.

Poderá surgir sinais de depressão que se manifesta como falta de apetite, cansaço e alterações do sono. Bem como  dificultar o dia-a dia do paciente já que ele,gradativamente,tornar-se-á incapaz de autocuidar-se.

Aos primeiros sinais e/ou sintomas que sugiram a  doença busque imediatamente a ajuda profissional do Neurologista pois somente ele poderá diagnosticar e ver se há necessidade de medicações.


Não se automedique.JAMAIS!


http://www.parkinson.med.br/artigo_2.html
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?153


bjs,soninha

Nenhum comentário:

Paz!