Paz e Amor!

Paz e Amor!
O Inverno Chegou!!

quarta-feira, outubro 27

Cão diminui sintomas de Mal de Parkinson em paciente


Amanda sai para caminhar diariamente com seu cãozinho - 
Reprodução/ The Sun


Benji sente quando sua dona passa por algum problema e oferece seu pelo para ser acariciado para tranquilizá-la.

A companhia de uma animal de estimação pode ser benéfica por diversas razões. Há quem diga que os bichinhos mandam embora até mesmo a depressão. A boa notícia é que os pets podem desempenhar um papel fundamental para o tratamento de doenças graves, como o Mal de Parkinson, por exemplo.

Esse foi justamente o caso da britânica Amanda Osborne, que segundo o jornal The Sun tem sentido melhoras significativas nos sintomas da doença. Seus médicos ficaram tão impressionados com a relação benéfica entre ela e seu cãozinho Benji, da raça West Highland White Terrier, que resolveram espalhar a notícia para todo o mundo.

Segundo a publicação, toda vez que o animal sente que sua dona não está se sentindo bem, Benji oferece seu pelo para Amanda fazer carinho. A atividade auxilia a britânica a controlar seus movimentos. Apesar de uma atitude simples o companheirismo do animal faz uma grande diferença na vida da paciente. “Hoje faço coisas que não era capaz de fazer. Todos os sintomas foram embora, inclusive a depressão”, comentou.

Amanda disse ainda que graças ao cãozinho ela sai de casa todos os dias para passear, sendo que antes dele, ela passava três dias ou mais só na cama. “Benji precisa de mim e eu preciso dele também”. Em entrevista à publicação, Peter Bain, neurologista responsável pela britânica, declarou que houve melhoras principalmente na vida social e apetite de sua paciente com a chegada do cachorro.

A britânica começou a sofrer dos primeiros sintomas da doença há dez anos, mas foi apenas há algum tempo que foi diagnosticada com Parkinson. Com um quadro de depressão profunda, um amigo sugeriu que ela adquirisse um cachorro para lhe fazer companhia. “Quando eu vi Benji eu simplesmente tive que comprá-lo. Ele é tão cheio de vida”.

Segundo os especialistas, cuidar de um bichinho estimula a produção da dopamina, neurotransmissor responsável por estimular o sistema nervoso central. Os médicos acreditam que a companhia de Benji pode estar estimulando a maior produção de dopamina em Amanda. Sobre a teoria, a britânica foi categórica em afirmar que: "não sabe dos efeitos que o animal pode causar em seu cérebro, mas que ele mudou sua vida para melhor, muito melhor”



bjs,soninha

Nenhum comentário:

Paz!