Paz e Amor!

Paz e Amor!
O Inverno Chegou!!

terça-feira, junho 14

Parkinson também pode aparecer em jovens


Entenda a doença desencadeada por uma "pane" nos neurônios

Maggie é uma jovem de 26 anos bonita, bem-humorada e apaixonada. Porém, precisa constantemente de remédios - sem eles, é muito difícil segurar um simples copo de água - e teve de deixar sua profissão de artista porque suas mãos já não a obedeciam.


O filme Amor e Outras Drogas retrata a vida de quem sofre do Mal de Parkinson, mas sob uma ótica nova: a personagem tem menos de 30 anos, muito diferente do idoso que vem à mente quando pensamos na doença.


A arte imita a vida

O mal de Parkinson ataca também pessoas mais novas. "A doença é típica de pessoas mais velhas, mas nada impede que se inicie por volta dos 35 ou 40 anos. Nestes casos, é mais frequente que tenham uma história do mesmo problema na família", explica o Dr. Henrique Ballalai Ferraz, neurologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Em qualquer idade, os sintomas são os mesmos: tremores, dificuldade de coordenação motora, lentidão dos movimentos e enrijecimento dos músculos. No Brasil, estima-se que 200 mil pessoas tenham a doença.

Apesar de o tratamento atual controlar os sintomas, mas não impedir que a doença avance, o médico é otimista. "A cura é possível, mas ainda não estamos perto dela. A qualidade de vida das pessoas que estão recebendo o tratamento é muito boa e muitos pacientes conseguem levar uma vida muito próxima do normal", afima. Além da medicação, o neurologista afirma que alguns hábitos são positivos, como "manter vida ativa no trabalho ou, se já estiver aposentado, manter hábitos saudáveis, como praticar caminhadas, musculação, ginástica, sempre que possível".


É importante consultar um médico para saber qual tratamento é o mais adequado. O medicamento mais usado ainda é a levodopa, mas para os pacientes mais jovens ou que não estão em um estágio avançado da doença, uma cirurgia de estimulação cerebral é indicada.


Entenda a doença

O Mal de Parkinson ocorre devido à destruição de neurônios chamados dopaminégicos, que leva a uma escassez de dopamina que prejudica o sistema nervoso central. Os sintomas aparecem quando boa parte (entre 70 e 80%) dos neurônos estão destruídos.


A causa do Parkinson não é clara: geralmente ocorre em pessoas com mais de 60 anos, a maioria do sexo masculino. O histórico familiar também é importante. Familiares de pessoas que têm o mal de Parkinson são mais propensos a ter a doença no futuro. Levar pancadas na cabeça com frequência, como acontece com lutadores, também aumenta as chances. É o caso do lutador de boxe Muhammad Ali, diagonisticado com a doença em 1984, aos 42 anos.

Muhammad Ali (no meio apontando para si mesmo,já doente)

http://www.bomprevenir.com.br/noticias/v/parkinson

bjs,soninha


Um comentário:

Anne Lieri disse...

Uma doença muito triste e que não sabia que podia atingir pessoas tão jovens!Interessante artigo!Bjs,

Paz!