Paz e Amor!

Paz e Amor!
O Inverno Chegou!!

terça-feira, agosto 30

Querida filha Di


ADELINA MARIA CIDREIRA DE FARIAS

* 30.08.1970
+ 24.04.2000

Filha querida! 

Jesus nos ensinou que há várias moradas na casa do Pai. Estivemos por um tempo juntas e hoje estamos em domicílios diferentes.

Para mim, foi um prazer e uma honra ser a tua mãe; contigo muito aprendi.

Comemoraríamos hoje, mais um ano da tua existência aqui entre nós, e hoje eu me pergunto:  

- onde estás filha minha, do meu coração?

Sabe, a Comunhão Espírita de Brasília respondeu ao meu apelo e mandou me dizer que foste socorrida pela equipe abnegada dos mentores espirituais e te levaram a uma Colônia de repouso e recuperação espiritual. Fiquei a imaginar o teu espanto ao despertares entre seres que não conhecias.  

Ou será que conhecias?

Não quero mais pensar nisto e nem como partiste. Hoje alimento a esperança de reencontrar-te, aqui, ali ou acolá, não importa onde. O teu lugar vazio me espanta e entristece dia após dia. A alegria tornou-se cinzenta,
e a amargura cansada de me atormentar foi embora cedendo o seu lugar à paciência e submissão ante as Leis Divinas. 

Aceitei a tua partida naquele domingo de abril, porque nada pude nem posso fazer diante do destino. Saber-me impotente e ver-te partir relembrou-me o quanto somos pequeninos e dependentes do Pai.

Hoje não estás aqui em corpo físico mas estás, eu sei, em espírito, e sei que vieste buscar o teu presente.Agora, não mais perfumes, DVDs ou roupas. Agora só posso te ofertar o meu carinho através do pensamento que busco torná-lo equilibrado pela oração e a certeza de que ainda te amo como no primeiro dia em que te vi saindo de dentro de mim e te acolhi nos meus braços.

Não sou perfeita filha, nunca fui. Sei que falhei muitas vezes contigo tanto quanto falhaste com outras pessoas e assim somos nós humanos: falíveis e imperfeitos.

Hoje, melhorei um pouquinho e gostaria que estivesses aqui para ver o meu progresso. Desculpa, sei que estás vendo...

Fica com Deus filha querida e muita amada e saiba que estou na vigília aguardando o momento de rever-te.

 Tua mãe que te ama, sônia.

Nenhum comentário:

Paz!