Paz e Amor!

Paz e Amor!
O Inverno Chegou!!

quarta-feira, janeiro 2

Pelagra

Os hábitos alimentares podem variar de acordo com culturas, povos e regiões. Muitas vezes, dentro de um mesmo país, existem regiões com hábitos alimentares completamente diferentes umas das outras. Essa diversidade pode variar de acordo com a cultura, a disponibilidade de alimentos, a fertilidade do solo.

Essas diferenças além de representarem à cultura da região, em alguns casos, podem gerar problemas como a deficiências de algumas vitaminas e minerais na alimentação, como é caso de povos que baseiam sua alimentação exclusivamente no milho. Este cereal tem baixo teor de triptofano e niacina, contribuindo para a carência de vitaminas do complexo B e proteínas. A deficiência ou falta destes nutrientes em nosso organismo devido aos hábitos alimentares denominam-se Pelagra.

Outro grupo com grande chance de apresentar Pelagra, não apenas por aspectos culturais da alimentação de sua região, mas devido a maus hábitos de consumo, são os alcoólatras crônicos. Este grupo, muitas vezes, apresenta uma alimentação deficiente em vários nutrientes, acarretando em faltas nutricionais.

As consequências da Pelagra estão relacionadas a problemas de pele, problemas no intestino e, em estágios mais desenvolvidos, pode até mesmo afetar funções do cérebro. Uns dos primeiros sintomas pode ser o aparecimento de marcas na pele (como sinais de queimaduras), sendo que na grande maioria das vezes estas manchas não desaparecem com facilidade e costumam descascar. Náuseas, mal estar, enjoos, perda de apetite e diarreia também são sintomas comuns, pois, todo o sistema intestinal torna-se atingido. Na língua e na boca podem aparecer alguns sinais de irritação, apresentando focos de inflamação.

Quando a doença apresenta um estágio mais avançado é comum aparecer problemas vaginais e algumas alterações no sistema nervoso (cansaço, falta de sono, palidez) acarretando em alguns distúrbios mentais, falta de memória e até problemas depressivos.

A melhor maneira de se identificar tal deficiência é por meio do exame de sangue e a partir das taxas de niacina presentes na urina. A forma mais eficaz para prevenir a Pelagra é por meio de uma alimentação rica em todos os nutrientes, vitaminas e minerais, evitando assim basear a alimentação em apenas um alimento (neste caso o milho) e ocasionar deficiências ou excesso de nutrientes.  Os idosos que se alimentam mal estão sujeitos a desenvolverem a doença.
Alimente-se corretamente... 


Nenhum comentário:

Paz!