Alegrai-vos no Senhor!

sexta-feira, agosto 26

Idosos representam 18% do total de eleitores na região

Números do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) datados do mês de julho apontam que Sorocaba tem um contingente de 78,8 mil indivíduos idosos aptos ao voto. Juntos, eles representam quase 18% do total do eleitorado local, que concentra 446,3 mil inscritos.

Conforme os dados, do universo de pessoas da chamada terceira idade, 25,3 mil estão concentradas na faixa etária dos 60 aos 64 anos; 17,6 mil, têm entre 65 e 69; 12,1 mil, de 70 a 74; 8,5 mil estão entre 75 e 79, e 11,1 mil têm 80 anos ou mais. Considerando que o voto é facultativo a partir dos 70, tem-se que 31,8 mil pessoas não estariam obrigados a comparecer às urnas este ano.

Mesmo assim, calcula-se que boa parte desse universo de não votantes em potencial está disposta a exercer o direito de escolha. "É um engano subestimar o potencial desse público. Até por isso, os candidatos devem ficar atentos e direcionar políticas públicas que eventualmente venham adotar, caso se elejam, a essa camada da população", diz o presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB Sorocaba, Eliel Ramos Maurício Filho.

O advogado lembra que os idosos querem, sim, fazer valer a cidadania. "Quem pensar de outra forma, corre o risco de não se haver bem na campanha. Aliás, fica aqui o apelo para que os idosos, mesmo aqueles que estão desobrigados, votem no mês de outubro. Eles têm preferência assegurada na hora de votar", acrescenta Ramos Maurício.

O geriatra e professor Paulo Renato Canineu vai além e afirma que não teve e não tem conhecimento de que, no município, nos últimos anos e nas últimas eleições, quaisquer dos concorrentes a prefeito tenham incluído em seus programas de governo ações voltadas às pessoas idosas. "Todos, independentemente da idade, precisam de atenção, mas o idoso, até pela sua condição, reclama mais do poder público. Os idosos representam 6% da população votante do país".

"Estamos diante da realidade de dispensar tratamento desigual aos desiguais. Lembro, eu que também sou idoso, já que tenho 66 anos, que as pessoas nessa faixa etária testemunharam e colaboraram para a redemocratização do país, mas não foram contempladas e não têm atendidas suas necessidades." Segundo Canineu, a expectativa de vida do brasileiro aumentou.

Segundo o especialista, a principal demanda dos idosos ainda é por saúde. "A coisa mais difícil, e que eu particularmente tremo nas bases quando me deparo, é conseguir internação na rede pública, particularmente em Sorocaba. Estamos diante de uma situação bastante caótica que precisa ser resolvida. E o momento é agora, já que estamos num processo sucessório."

Com a palavra, os idosos 

O voto é mais do que uma obrigação; é, antes, o direito de exercer a cidadania, dizem idosos ouvidos pelo Cruzeiro do Sul. Iracema Marinho, de 70 anos, diz que mesmo não sendo obrigada a votar, deverá fazê-lo este ano. "Eu acho que é dever de todo cidadão. Tenha ele 70, 80 anos é importante participar e, mais do que isso, cobrar depois."

O aposentado Jair Carlos Pires, de 66, concorda. "É importante escolher os governantes da cidade e do país. E saber deles quais o planos, caso se elejam a prefeito, ou a vereador. E, também, para a gente cobrar depois, apesar das dificuldades. Quando a gente cobra, eles até ofendem."

Jair diz que nos últimos quatro anos faltou muita coisa para os idosos. "Tenho para mim que isso é de responsabilidade de um aglomerado de culpados. A Câmara deixou muito a desejar. A cidade ficou parada, estagnada, precisando de muita coisa. O próximo prefeito terá de priozar essas ações."

Para Tereza Briotti, de 70, os idosos sorocabanos não têm o tratamento que merecem. "Não tivemos sorte; o governo não concedeu aumento salarial. Até por isso, devemos, sim, participar e cobrar deles que cumpram sua obrigação e atendam aqueles que precisam. O voto é a nossa arma."


Nenhum comentário:

Paz!