Alegrai-vos no Senhor!

terça-feira, novembro 29

Menina de 12 anos cria aplicativo para ajudar avó com Alzheimer


O aplicativo, desenvolvido pela chinesa Emma Yang, funciona como uma rede social, só que com uma diferença: ele tem reconhecimento facial.

Dentre as terapias que têm sido desenvolvidas para estimular o cérebro, tanto para quem tem Alzheimer quanto para pessoas que querem prevenir a doença, o uso do computador e das redes sociais são algumas das que mais demonstram bons resultados. 

A novidade é o fato de um novo aplicativo de celular para ser utilizado por pessoas com Alzheimer ter sido desenvolvido por uma menina de apenas 12 anos. 

Feito para ajudar a avó 

Emma Yang, chinesa que mora em Nova Iorque, pensou em um aplicativo para ajudar a sua avó, que tem Alzheimer. Morando ainda em Hong Kong, portanto, longe dos parentes, a idosa foi diagnosticada com Alzheimer e começou a ter cada vez mais lapsos de memória. Então, Yang pensou em um aplicativo para celular que auxiliasse a memória da avó. Com ajuda da tecnologia, ela criou praticamente uma “memória externa” para que as pessoas com Alzheimer se lembrem de todos os parentes e amigos. 

Reconhecimento facial 

O aplicativo Timeless (Eterno, em português), desenvolvido pela menina – que sabe programar em mais de 5 linguagens, é pianista, ganhou várias bolsas de estudo, está escrevendo um livro e é uma das 10 pessoas com menos de 20 anos mais importantes da cidade de Nova York –, funciona como uma rede social, só que com uma diferença: ele tem reconhecimento facial. 

Quando o idoso não reconhece a pessoa com que está conversando, basta tirar uma foto. O aplicativo compara o rosto com outras fotos que já estejam em seu banco de dados, e informa quem é a pessoa. Uma ajuda e tanto para aqueles que têm dificuldades para reconhecer os entes queridos. 

Ele tem outras funções importantes que podem ajudar bastante. O login (entrada no aplicativo) é feito por impressão digital, facilitando o acesso. Há também as funcionalidades de mensagem e ligação. 

É comum, por exemplo, que pessoas com a doença liguem várias vezes para a mesma pessoa em um curto espaço de tempo. Por isso, o aplicativo tem uma função de notificar o usuário caso ele esteja tentando ligar para alguém com quem já falou nos últimos cinco minutos. 

Além do reconhecimento facial para ajudar da identificação de familiares e amigos, o aplicativo oferece, também, um botão para lembrar o paciente de seu próprio nome. Ele ainda tem horário, data, previsão do tempo e agenda. Para a família acompanhar mais de perto a pessoa com Alzheimer, o app fornece atualizações das atividades realizadas pelo usuário.


Nenhum comentário:

Paz!