São João Tá Chegando Gente!

terça-feira, setembro 30

Coração - Proteja com suco de uva


Tese de doutorado da FMUSP comprova que a bebida tem o mesmo efeito vasodilatador do vinho mas sem efeitos colaterais do álcool.

Quem toma um cálice de vinho às refeições com o objetivo de evitar possíveis problemas no coração, mas tem como inconveniente os efeitos colaterais do álcool, pode substituir a bebida por suco de uva. A tese de doutorado da cardiologista e médica assistente do Instituto do Coração (Incor) da Faculdade de Medicina da USP, Silmara Regina Coimbra, comprovou que ...tanto o vinho tinto quanto o suco de uva provocam o mesmo efeito sobre o endotélio... (camada que forra internamente os vasos sanguíneos), aumentando a sua dilatação, frente a um estímulo.

Nessa camada é que se depositam as placas de gordura (ateroscleróticas), que comprometem a circulação e são capazes de provocar o infarto do miocárdio. A grande vantagem do suco na proteção contra a aterosclerose é a ausência de álcool.

Estudo

O estudo foi realizado no Incor com 31 pacientes hipercoleste-rolêmicos (com nível elevado de colesterol), sem outros fatores de risco. O primeiro grupo, formado por 15 pessoas, consumiu diariamente, durante sete dias, 500 ml de suco de uva (250 ml por refeição). Após um intervalo de sete dias, eles repetiram o procedimento com o vinho tinto, na mesma quantidade. O outro grupo, com 16 pacientes, foi analisado por um período maior: 14 dias de consumo, por bebida, com o mesmo período de intervalo.

Como resultado, com 14 dias de consumo, houve aumento da dilatação endotélio-dependente tanto no caso do suco quanto no do vinho, ou seja, melhorou a função endotelial. A reatividade vascular endotélio-independente também aumentou após consumo do vinho tinto. Não foi observada, porém, nenhuma alteração em lípides e agregação plaquetária com vinho ou suco de uva.

Proteção sem riscos

Segundo a cardiologista Silmara Coimbra, a principal conclusão deste trabalho é que o suco de uva pode proteger o indivíduo contra a doença arterial coronária (DAC) sem os riscos associados ao consumo do álcool. Profissionais do Incor, sob a coordenação do Prof. Dr. Protásio Lemos da Luz, já haviam comprovado o efeito protetor do vinho e de outros produtos não alcoólicos do vinho em coelhos.

Na recente pesquisa junto a pacientes com níveis elevados de colesterol, as duas bebidas demonstraram efeito vasodilatador.

A ação do vinho tinto na prevenção de doenças do coração já é conhecida há pelo menos uma década. O consumo moderado da bebida é capaz de aumentar o nível de HDL, o colesterol “bom”. O que se discute é se esse efeito benéfico do vinho se origina do álcool ou é devido à sua grande quantidade de flavonóides, substância química que também é encontrada na casca da uva, na cebola, na casca da maçã e no tomate. Os flavonóides têm poder antioxidante e, portanto, protegem o coração dos efeitos das gorduras.

Não é álcool que protege

Na pesquisa da cardiologista Silmara Coimbra, concluiu-se que “a proteção do vinho tinto parece dar-se por outras substâncias que não o álcool”. Para pessoas que pretendem adotar o suco de uva em sua dieta com o objetivo de reduzir os riscos de problemas coronários, Coimbra recomenda a ingestão de um copo (150ml) no almoço e outro no jantar. O vinho é contra-indicado a pessoas com elevados níveis de pressão arterial e diabéticos, e pode produzir efeitos adversos.



Nenhum comentário:

Paz!