Alegrai-vos no Senhor!

sexta-feira, março 4

Médico brasileiro faz cirurgia que reverte quadro de Mal de Alzheimer e promete resgatar a memória dos pacientes


Testado inicialmente no Canadá, o método já não é mais considerado experimental, tendo sido aplicado em pelo menos 42 pacientes, no Brasil e nos Estados Unidos, com melhoras significativas nos primeiros 15 dias após o procedimento.

Médico brasileiro faz cirurgia que reverte quadro de Mal de Alzheimer e promete resgatar a memória dos pacientes.Testado inicialmente no Canadá, o método já não é mais considerado experimental, tendo sido aplicado em pelo menos 42 pacientes, no Brasil e nos Estados Unidos, com melhoras significativas nos primeiros 15 dias após o procedimento

O Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, na Paraíba; no destaque, o cirurgião Rodrigo Marmo

Rodrigo Marmo, de 35 anos, é um neurologista brasileiro com especialização em Toronto, no Canadá – berço das pesquisas na área. Rodrigo conseguiu, por meio de um método inovador, frear o quadro de Alzheimer em um paciente de 77 anos, que teve sua identidade ocultada a pedido da família. O idoso sofre da doença há mais ou menos dois anos, e tem um grau sintomático leve a moderado. 

A cirurgia foi realizada no dia 11 de dezembro de 2015, no Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, na Paraíba, e os equipamentos foram ligados poucos dias antes do Natal. O método consiste no implante de um Estimulador Cerebral Profundo, que inicialmente foi usado para tratar outra doença: o Mal de Parkinson. 

Em 2008, médicos canadenses começaram a testar experimentalmente o aparelho, e o implantaram em seis pacientes com Alzheimer, de modo que, pequenas descargas elétricas estimulassem as áreas afetadas do cérebro. 

Melhora já é percebida 10 a 15 dias após o procedimento 

De acordo com o Dr. Rodrigo Marmo, os resultados foram tão positivos que atraíram a atenção de especialistas dos EUA. Brasileiros e americanos uniram conhecimentos, possibilitando que ambos os países realizaram a cirurgia em pelo menos 42 pacientes, fazendo com que, hoje, o procedimento não seja mais considerado experimental. 



O médico brasileiro afirma que, após a implantação do marca-passo cerebral, eletrodos conectados à uma bateria presa no peito do paciente dão leves descargas elétricas no cérebro, estimulando, assim, o circuito da memória. Após 11 a 15 dias, os aparelhos são ligados e o paciente já consegue se lembrar, por exemplo, de caminhos, fica mais atento a conversas, e há uma melhora significativa no vocabulário. 

A cirurgia, porém, é cara, visto que os eletrodos e o marca-passo são importados. Os custos podem atingir a casa dos 200 mil reais. 

No caso do idoso da Paraíba atendido pelo Dr. Marmo, os remédios já não faziam mais efeito, e o plano de saúde havia se recusado a fazer a cirurgia atestando que o procedimento ainda não havia sido liberado pelo Ministério da Saúde. A família recorreu à Justiça, e conseguiu o ganho da causa. A mesma cirurgia feita no Canadá ocorreu no Brasil, pelas mãos do Dr. Rodrigo. 


Contudo, o neurocirurgião brasileiro frisa que esse procedimento não consiste na cura do Mal de Alzheimer, mas viabiliza que o quadro sintomático seja minimizado, aumentando a qualidade de vida do paciente.


Fotos: divulgação


Nenhum comentário:

Paz!