Paz e Amor!

Paz e Amor!
O Inverno Chegou!!

sexta-feira, março 21

Quando Dormir é Um Problema


Para a maioria dos idosos, dormir é um problema. Não têm pressões profissionais e as preocupações são menores, mas o simples ato de dormir é um drama. Muitos idosos estão descontentes com o seu sono e tomam, durante anos a fio, comprimidos para dormir.

O Jornal do Centro de Saúde foi saber quais as razões desta aparente “falta de sono”, se dormir menos horas durante a noite é, de facto, um problema e o que os nossos leitores mais velhos podem fazer para melhorar o seu sono. Falou com Prof. João Barreto, psiquiatra, da Faculdade de Medicina do Porto e com a Dra. Marta Gonçalves, Diretora Clínica do Instituto do Sono.
O sono dos idosos é mais fragmentado e menos profundo. Não se pode afirmar que os idosos precisem de dormir menos, mas têm menos capacidade de dormir de forma contínua. O seu sono é mais frequentemente interrompido por despertares noturnos.

Com o avançar da idade, o nosso ritmo biológico muda, e há tendência para adormecer e despertar mais cedo”, afirma a Dra. Marta Gonçalves. O Prof. João Barreto explica-nos que “o sono dos idosos é diferente em vários aspectos e mais fragmentado.
Acordam muitas vezes. O sono dos idosos está menos concentrado na noite e está mais disperso no dia. Isto é, têm tendência a dormir a várias horas durante o dia, de manhã e de tarde. O sono não é um estado único. No sono, passamos por vários estádios diferentes. A mudança de estádio ou níveis de sono é muito frequente. Os idosos passam mais facilmente de um estádio para outro, comparativamente às pessoas de outra idade. O sono dos idosos está desfasado do das pessoas jovens, não para o atraso, mas para o adiante. O idoso tem sono mais cedo do que as pessoas jovens e tem tendência para se ir deitar, normalmente, uma, duas e até três horas mais cedo. Não é raro termos idosos que se queiram deitar às 19, 20 ou 21 horas... Logo, há uma tendência para acordarem mais cedo e têm muita dificuldade em adormecer”, diz-nos.

Quantas horas devemos dormir?

A Diretora Clínica do Instituto do Sono afirma que “de forma geral, a maioria das pessoas necessita de sete a oito horas por dia, mas há casos que necessitam apenas de cinco ou seis, enquanto outras necessitam de mais de nove ou dez horas”. Podemos então afirmar que não existe uma regra que se adeque a todas as pessoas pois “as horas de sono de cada um devem ser individualizadas caso a caso”. À medida que vamos crescendo “a necessidade de sono vai diminuindo”, afirma.

Na opinião do Prof. João Barreto, “os mais jovens devem dormir oito a nove horas. As pessoas idosas devem dormir sete ou oito”. Existem muitas patologias do sono. As insônias são as que mais queixas trazem aos consultórios. De acordo com o Prof. João Barreto, “deverá ser o próprio médico de família a enviar o doente para um especialista porque os idosos raramente sabem quando o devem fazer”.

Comprimidos para dormir

De acordo com o Prof. João Barreto “a maior parte dos idosos toma comprimidos para dormir e fazem-no há muitos anos. Normalmente, são medicamentos que lhes fazem sonolência no dia seguinte. Estes medicamentos têm uma ação muito longa e fazem com que o idoso durma mas acorde muito cansado, de manhã. 

São medicamentos que se acumulam no organismo e são dificilmente eliminados. Como resultado, o doente acorda muito lento, com bastante sono e sofrem algumas quedas em casa. Os médicos têm muita dificuldade em cortar com medicamentos que estejam a ser tomados há dez, quinze anos por determinado idoso. Não se pode cortar de repente. De qualquer forma, deve ser dada medicação por um curto período de tempo. Ou seja, recomendo que um doente meu tome aquele medicamento por uns dias e depois pare”.

Como podem os idosos dormir melhor

Perguntamos aos dois especialistas como é que os idosos podem melhorar o seu sono. Reunimos as recomendações na lista que lhe apresentamos em seguida:
- Aconselham-se atividades regulares durante o dia para que se sintam mais cansados à noite. As actividades diárias regularizam o sono nocturno.

- Os idosos só devem ir para a cama apenas e só quando têm sono. Deverão evitar estar na cama muito tempo na cama a ler ou a ver televisão.

- A pessoa idosa deve deitar-se sempre à mesma hora, não sendo conveniente que se deite a horas muito variáveis. Por exemplo, há muitos idosos que passam um mês em casa de cada filho. Recomenda-se que passem mais tempo em casa de cada filho para se habituarem às rotinas dessa família. É necessário que se habituem à cama onde vão dormir, aos ruídos do exterior, aos estímulos das pessoas, às temperaturas, à almofada, ao percurso da casa, etc. Estes aspectos são muito importantes para a pessoa idosa. Mudar de rotinas é muito confuso para os idosos, o que lhes pode provocar insônias.

- O quarto não deve estar demasiado frio, nem demasiado quente. Os idosos têm tendência de ter o quarto muito quente. Não o devem ter em demasia para que não adoeçam.

- Devem evitar café, chá e, se possível, certos medicamentos à noite que funcionam como excitantes.

- Os familiares devem ter em atenção e evitar portas a bater ou televisões muito altas. - É importante que a família não tenha conversas preocupantes à noite. Em geral, é muito difícil obedecer a esta recomendação pois é neste período do dia que os filhos, com quem os idosos vivem habitualmente, têm mais tempo para falar dos ausentes, de pessoas que já morreram e de preocupações do dia-a-dia.

- Da mesma forma, é importante que as combinações de afazeres sejam feitas de manhã e nunca à noite. Programar atividades do dia seguinte, na noite anterior, é fatal para os idosos pois eles passam a noite a pensar nisso e já não dormem.

- Os familiares devem evitar discussões e conflitos frente aos idosos.

- Recomenda-se que tenham refeições ligeiras ao jantar.

- Não devem ter relógio na mesa de cabeceira.

- É recomendado que se tenha cuidado com as costas das pessoas acamadas Não é conveniente que a parte lombar seja sacrificada nem que os idosos se dobrem muito pois esta postura pode ser bastante prejudicial.

Nenhum comentário:

Paz!